Relação de itens para um “kit gambiarra”

Introdução

Defender’s são veículos extremamente simples e bastante robustos de uma maneira geral. Se mantidos com um mínimo de manutenção preventiva e usados dentro de seus limites, esses veículos apresentam poucos problemas mecânicos e geralmente são problemas que podem ser antecipados através dos barulhos e de seu próprio comportamento dinâmico.

No entanto não há garantia de que nenhum imprevisto irá acontecer, portanto é preciso estar minimamente preparado para estes “eventos”: um conjunto mínimo de ferramentas, algumas peças sobressalentes, um pouco de conhecimento mecânico e um “kit gambiarra” podem fazer a diferença entre ficar empenhado e ter que chamar um guincho ou ter um “belo causo” de improvisação e auto-resgate para contar aos amigos. Como as Defender’s são mecanicamente simples, é bem possível que uma pessoa com um mínimo de conhecimentos mecânicos consiga colocá-la de volta na estrada na imensa maioria dos casos.

Desse modo, este post irá propor uma lista minimalista de itens que podem ser de grande ajuda quando em um imprevisto. Essa lista não abrangerá ferramentas, peças sobressalentes e/ou itens para situações muito específicas. Deixaremos as ferramentas e peças sobressalentes para outras listas… Assim, a ideia aqui é listar alguns poucos itens que, se usados sozinhos ou combinados, podem realmente fazer a diferença entre parar ou seguir andando.

Kit Gambiarra básico
  1. Fita tape de boa qualidade;
  2. Micro óleo;
  3. Arame fino e arame grosso;
  4. Fios elétricos;
  5. Silicone RTV;
  6. Pedaços ou tiras de câmera de pneu;
  7. Toco e pedaço curto de prancha de madeira.
Kit Gambiarra expandido
  1. Parafusos, porcas e arruelas sortidos;
  2. Abraçadeiras sortidas;
  3. Cintas plásticas sortidas (“engasga gato” ou “arame de rico”);
  4. Cola para juntas de motores diesel;
  5. Durepoxi e/ou Super Bonder;
Exemplos de usos dos itens
  • Fita tape de boa qualidade: remendos em mangueiras, em vidros, fixação temporária de peças soltas. Uma limpeza prévia das superfícies e uso de um pouco de calor após a aplicação da fita aumentam enormemente sua aderência;
  • Micro óleo: limpeza de roscas de parafusos, limpeza de superfícies para posterior aplicação de silicone RTV, sangrar a linha de diesel, remontar pneu destalonado, limpeza de contatos elétricos, remoção de piche da lataria. Tenha pelo menos uma lata da marca WD-40.
  • Arame fino e arame grosso: fixação de itens em geral, desentupir drenos e respiros, passar fios, recuperar porcas e parafusos de locais de difícil acesso. Em relação ao arame grosso, é recomendável que este seja maleável para ser moldado com as mãos.
  • Fios elétricos: fazer ligação direta e testes em diversos sistemas elétricos do veículo: faróis, solenóides, relés, entre outros. Tenha pelos menos um fio inteiro de 5 metros com 2,5 milímetros, mas fios mais finos e em menor comprimento também podem ser muito úteis;
  • Silicone RTV: fazer juntas de vedação na troca de peças, tais como bomba de água, bomba de vácuo, vedação de bujões, conserto de vazamentos de óleos, líquido de arrefecimento e ou fluídos. Também pode ser usado para vedar pontos de ingresso de pó ou água da chuva na cabine. Ao comprar, escolha a marca e tipo de silicone com data de vencimento mais distante;
  • Pedaços ou tiras de câmera de pneu: fixação de componentes que necessitem de um pouco de flexibilidade e/ou tensão, ou improvisar proteção em relação a atritos e vibrações. Tenha alguns pedaços inteiros e outros cortados em tiras curtas e compridas;
  • Toco e pedaço curto de prancha de madeira: podem ser usados para calçar rodas, como base de macaco em superfícies inadequadas (inclinadas, barro, areia, etc), como base de apoio para outros consertos (uso de furadeira, serra, etc), como martelo/marreta “macio” para dar pancadas em componentes “colados” ou parafusos engripados (bater no cabo da chave);
  • Parafusos, porcas e arruelas sortidos: substituir parafusos, porcas e arruelas perdidos, espanados, quebrados ou para improvisar reforços, fixação de peças e componentes. A troca dos parafusos originais da Defender por idênticos em inox (processo sem fim, pois troco apenas alguns parafusos por vez), resultou em uma bela coleção de parafusos porcas e arruelas específicos da Defender…
  • Abraçadeiras sortidas: substituir abraçadeiras que tenham espanado, muito comum de acontecer quando se remove mangueiras para fazer outros reparos;
  • Cintas plásticas sortidas (“engasga gato” ou “arame de rico”): fixação temporária de itens em geral, sendo de aplicação mais simples e rápida do que arame. Prefira as cintas plásticas da marca HellermannTyton;
  • Cola para juntas de motores diesel: pode ser usada para colar diversos itens, pois tem adesão em metal, plástico, borracha e madeiras, mas sua função de destaque é auxiliar na vedação de vazamentos de diesel no tanque ou nas linhas de combustível, onde outros produtos são dissolvidos pelo combustível. Prefira a cola para juntas de motores diesel da 3M, que é barata e de ótima qualidade;
  • Durepoxi e/ou Super Bonder: colagens, vedações e reparos em peças em geral. Um uso interessante do super bonder é para colar temporariamente uma porca ou arruela na ponta do dedo, em um soquete ou chave de boca para colocação do mesmo em locais de difícil acesso. Basta usar apenas um “micro” pingo de cola que a porca ou arruela se soltará quando for minimamente forçada.

Por fim, cabe lembrar que o verdadeiro “potencial” de gambiarra dos itens acima se dá através da combinação de dois ou mais itens em um mesmo reparo. E também que esta não é uma lista definitiva, podendo ser complementada com itens da preferência dos proprietários.

Sugestões são muito bem vindas!

2 respostas para “Relação de itens para um “kit gambiarra””

Os comentários estão desativados.