Sensores de temperatura EGT e do fluído de arrefecimento

Introdução

Este DIY apresenta uma sugestão de passos para instalação de um mostrador duplo para monitorar as temperaturas dos gases de escape (EGT) e do fluído de arrefecimento, auxiliando no monitoramento em tempo real do motor. A observação desses dois parâmetros permite identificar as situações nas quais o motor está trabalhando fora dos parâmetros de projeto, permitindo que o motorista faça as devidas correções em seu modo de dirigir o que resulta em uma maior vida útil do motor e de seus componentes.

As informações contidas aqui não são exaustivas, devendo ser usadas sob sua própria responsabilidade. Em caso de dúvidas entre em contato com a loja/fabricante do kit e/ou um mecânico de sua confiança.

_________________________________________________________________________________________

Há bastante tempo eu desejava instalar um EMS MadMan na minha Defender 300 Tdi, mas outras prioridades não possibilitaram o investimento nesse equipamento. Então passei a pesquisar por uma solução nacional mais em conta, mesmo que não fosse tão completa quando um MadMan.

Analisando as funções disponíveis no MadMan, exceto pelo alarme de nível do fluído de arrefecimento que já tenho instalado (veja aqui), as mais importantes na minha opinião são as temperaturas da EGT e do fluído de arrefecimento, bem como a pressão e temperatura do óleo. Como não se pode ter tudo na vida, e acreditando que esses são os parâmetros cruciais para monitorar em um motor diesel, resolvi ir atrás de uma forma para monitorar somente as temperaturas da EGT e do fluído de arrefecimento.

A ideia era conseguir um mostrador que coubesse no painel de instrumentos no lugar do relógio de horas original da Defender, que é absolutamente inútil. Assim toda a instalação ficaria oculta e o painel da Defender continuaria “limpo”.

Depois de uma rápida pesquisa, pois já tinha lido e ouvido falar dessa empresa, acabei optando pela marca Guster para aquisição do mostrador e dos sensores. Entrei em contato e fui encaminhado para um de seus representantes: www.visumais.com.br

Abaixo veremos mais informações do kit e de sua instalação, contudo sem entrar nas especificações técnicas dos detalhes de instalação (qual fio liga onde, etc), pois essas informações podem variar conforme o kit escolhido. Para essas informações sempre deve ser observado o manual de instalação que é fornecido com o Kit.

Encomenda do kit

Olhando as opções disponíveis no site da Guster fiquei interessado pela possibilidade de monitorar duas temperaturas no mesmo mostrador, que era justamente o que eu queria. As temperaturas monitoradas são a dos gases de escape do motor (EGT) e do fluído de arrefecimento.

Após algumas trocas de e-mails com o pessoal da Visumais, montamos a seguinte configuração de kit:

  • Mostrador MF-40: diâmetro de 52 mm, cor da luz de fundo e do display em verde (há um custo para essa customização, pois a cor padrão é vermelha), serigrafia “EGT” e “WATER” nos respectivos indicadores;
  • Sensor SPI-50: sensor para monitorar a temperatura dos gases de escape;
  • Sensor temperatura uso geral: sensor para monitorar a temperatura do fluído de arrefecimento, com olhal de 10 mm.

Em dezembro de 2016 o custo do kit completo, incluídas as customizações, sensores e frete, ficou em R$ 820,00.

Kit completo
Detalhe do display
Preparação do kit

A preparação do kit consistiu na melhoria das proteções da fiação de todo o kit, onde eu usei conduítes corrugados automotivos e espaguete termo retrátil. Também optei por instalar dois botões (tipo “normalmente aberto”) para fazer a configuração do alarme visual das temperaturas, pois o sistema original consiste apenas em encostar um fio desencapado em um ponto de massa (negativo) para alterar o valor da temperatura de alarme (o alarme consiste apenas no display piscando, mas é possível pedir um alarme sonoro).

Assim, tudo que fiz para a instalação dos botões foi ligar os fios das configurações de alarme a um ponto de massa, mas colocando “no meio” o botão. Assim apenas quando se aperta o botão o contato é fechado e o valor do alarme é alterado. Na foto abaixo é possível ver os botões instalados na fresta de ventilação original do painel:

Mostrador e botões de configuração dos alarmes instalados
Instalação do mostrador e fiação interna do painel

Parte determinante do processo de instalação do kit é a forma como os cabos dos sensores serão passados para dentro da cabine da Defender. Após estudar as opções de caminhos entre os locais de medição dos sensores no motor, decidi usar o passa cabos de borracha da chapa corta fogo do lado do carona, pois o do lado do motorista já estava bastante ocupado.

Usar o passa cabos do lado do carona também possibilita direcionar os cabos dos sensores, principalmente o do fluído de arrefecimento, pelo lado menos quente do motor, junto a bomba injetora e filtro de ar. Nada de cabo passando próximo ao coletor de escape ou sobre o cabeçote.

O problema desse trajeto é que se faz necessário desmontar uma boa parte do painel da Defender, embora isso dê espaço para se trabalhar e possibilite fazer uma instalação e fixação de tudo com mais capricho. É preciso um pouco de coragem e paciência para desmontar o painel, mas o grande segredo é apenas ir com calma e fazer uso de fita crepe para colar os parafusos removidos ao lado do seu respectivo furo. Assim não tem como errar na hora de remontar.

Com o painel desmontado e os cabos dos sensores já passados pelo passa cabos da chapa corta fogo, segui as orientações do manual do kit para soldar com estanho todos os fios. Minha única adição foi usar espaguete termo retrátil em todas as soldas, deixando toda a instalação limpa e organizada.

Depois de feitas todas as soldas, protegi e fixei os fios o melhor possível usando conduítes corrugados e abraçadeiras plásticas (vulgo “engasga gato” ou “arame de rico”). O retificador contido no kit (parece um potinho de metal) foi completamente envolto em fita de espuma de borracha para prevenir qualquer barulho causado por trepidação.

Assim, os fios que se originam nos sensores instalados no cofre do motor, passam pela chapa corta fogo e cruzam o painel finalmente chegam até a parte de trás do painel de instrumentos onde será instalado o mostrador. Este mostrador é instalado no lugar do relógio de horas da defender, sendo a substituição extremamente simples.

Painel parcialmente desmontado para possibilitar a instalação do kit
Passa cabo da chapa corta fogo, vista do cofre do motor
Fixando os fios do kit e o retificador: abraçadeiras plásticas e fita de espuma de borracha
Conduíte corrugado (preto) atravessa o painel para ligar o retificador ao mostrador do painel
A instalação do kit requer um ponto de massa, então aproveitei e deixei pontos extras para futuras instalações
Olhal para ponto de massa com esperas extras fixado no grande parafuso que prende a coluna de direção (troquei o parafuso original por um mais comprido, em inox e com porca travante para prender o olhal)
Painel de instrumentos com novo mostrador no lugar do relógio: basta soltar o conector do chicote e desatarrachar o copo plástico que há por fora do corpo do relógio. Depois é só colocar o novo indicador em seu lugar e fixar os parafusos de trava deste.
Instalação do sensor EGT

(((pendente – falta remover e furar o coletor de escape)))

Instalação do sensor de temperatura do fluído de arrefecimento

O local que escolhi para colocar o olhal do sensor de temperatura é sobre o bujão metálico do alojamento da válvula termostática, pois este bujão fica em contato constante com o fluído de arrefecimento e em uma posição do sistema que é “interna” em relação a válvula termostática. Isso significa que, se a válvula termostática estiver fechada, a temperatura lida será a do fluido que circula dentro do cabeçote, sendo portanto um local bastante apropriado para monitorar o motor.

Os bujões metálicos no sistema de arrefecimento são uma melhoria bastante recomendada para o motor 300 Tdi (leia mais aqui) e possibilitam instalar alguns tipos de sensores para monitorar a temperatura do fluído de arrefecimento. A instalação consiste em furar e abrir rosca no bujão, conforme o tipo de sensor escolhido. Alguns sensores são do tipo sonda, que necessitam estar em contato com o fluido, enquanto outros são do tipo olhal, que só necessitam estar em contato com o próprio bujão.

O sensor fornecido no kit da Guster é do tipo olhal, portando o furo a ser feito no bujão teria apenas a função de fixação do olhal. O bujão instalado na minha Defender possui 23 mm de espessura (Cuidado! Essa medida pode variar de bujão para bujão), então decidi fazer um furo de cerca de 12 mm de profundidade sem remover o bujão do alojamento. Marquei a broca com fita crepe para furar exatos 12 mm, coloquei um pano no entorno do bujão para recolher as farpas e mandei ver na furadeira! Uma dica é jogar WD40 nas farpas de metal conforme elas se acumulam, assim fica mais fácil de recolhê-las pois ficam grudadas umas nas outras.

Feito o furo, o passo seguinte é usar um macho para abrir rosca no furo. Possuo um conjunto de dois machos para rosca M6 (cabeça para chave 10 mm) que basta dar dois passes com cada macho e a rosca está feita. Após cada passe costumo limpar tudo com WD40 e um pano limpo. Por fim usei um parafuso inox sextavado bem curto e uma arruela de pressão para fixar o olhal sobre o bujão. Ficou perfeito!

Fazendo o furo no bujão

Olhal fixo no bujão!
Detalhe do caminho do chicote do sensor, passando sobre o compressor do AC, pelo lado “frio” do motor.
Caminho do chicote do sensor até o passa cabos da chapa corta fogo.
Funcionamento do sistema

Mesmo com a instalação parcial do sistema, pois ainda não tive tempo de remover e furar o coletor de escape, já foi possível testar e usar o medidor de temperatura do fluído de arrefecimento. Fiz diversos testes, em várias condições de temperatura ambiente (dias MUITO quentes), forçando o motor e usando o AC a plena potência e posso dizer com segurança que o sistema funciona muito bem.

A variação de temperatura do fluído de arrefecimento, em função da maior ou menor exigência do motor é quase imediatamente registrada pelo sensor. Considero meu sistema de arrefecimento “em dia”, pois o radiador foi limpo há poucos anos, o fluído possui as especificações e diluição corretas e acoplamento viscoso e válvula termostática são novas, desse modo a temperatura do fluido, mesmo em dias quentes e com uso do AC dificilmente passa dos 85° C, geralmente permanecendo entre 79 e 82° C na estrada a cerca de 90 – 100 km/h.

Display em funcionamento
Testando o sistema… O aviso “LO” da EGT se deve ao fato de o sensor não estar instalado.
Contraste do display em relação ao painel: recomendo a quem for comprar o sistema da Guster verificar se é possível reduzir um pouco o brilho do display. A noite não chega a incomodar, mas ficaria melhor se fosse um pouco mais fraco…

5 respostas para “Sensores de temperatura EGT e do fluído de arrefecimento”

    1. Olá, Júlio!

      Como sensor de temperatura usei o olhal incluído no Kit da Guster que comprei. Apenas tive que fazer um furo no bujão metálico da termostática, abrir rosca e aparafusar o olhal no bujão. Assim na verdade estou medindo a temperatura do bujão, mas como este está em contato direto com a água, acredito que as perdas sejam mínimas e as temperaturas sejam bem próximas as da água.

      Por acaso tu já comprou algum relógio/indicador de temperatura?

  1. So fiquei boiando quando você escreveu sobre os botões instalados. Não ficou clara a função de cada um deles, quando serão de pressionados e de como funciona o tal alarme (como seria a instalação do alarme sonoro).
    Obrigado

    1. Olá, José!

      O relógio da Guster tem a função de alarme regulável conforme a temperatura, que faz o display piscar ao atingir essa temperatura. A função de alarme sonoro tem um custo extra e eu optei por não tê-la. A regulagem da temperatura que dispara o alarme é feita através de dois fios que ficam na parte de trás do relógio (por dentro do painel), onde se deve encostar o fio em um ponto de massa (negativo) para que a temperatura seja alterada (mantendo o fio encostado no ponto de massa ela vai aumentando até reiniciar).

      O que eu fiz foi fazer a ligação permanente desses fios de regulagem do alarme em um ponto de massa, mas colocando um botão no meio para que o alarme não ficasse constantemente sendo ajustado. Assim, quando quero mudar a temperatura do alarme, só preciso pressionar o botão ao invés de ter que abrir o painel.

      Não sei se me fiz claro, mas qualquer dúvida é só perguntar!

Os comentários estão desativados.