Cuidado com as mangueiras!

Os motores 300 Tdi são simples e confiáveis, exigindo pouca manutenção se bem cuidados e se usados dentro de seus limites de projeto. Entretanto, como qualquer motor, basta apenas alguns quilômetros operando com temperaturas acima de seu limite para se ter prejuízos com juntas, cabeçote, cilindros, etc.

A questão no 300 Tdi é a facilidade com que a temperatura aumenta, sendo sua principal causa a perda de fluído de arrefecimento. Não é por menos que a imensa maioria dos proprietários instalam um sensor de nível no sistema, garantindo que seus motores nunca trabalhem sem esse precioso fluído.

Contudo, mesmo com a utilização do sensor de nível, ninguém deseja ter que parar a Defender no acostamento por causa de um vazamento que poderia ter sido evitado com um mínimo de intervenção. Não é pouca a exposição e o tempo necessário para esperar o motor esfriar, improvisar um reparo (variando o tempo conforme a experiência e ferramentas disponíveis), testar o reparo, completar o nível do fluído novamente e só então seguir viagem.

As principais causas de perdas de fluído de arrefecimento são problemas com os bujões ou com as mangueiras, assunto desse tópico. Embora os selos do bloco, bomba d’água, radiador, radiador do ar quente e reservatório de expansão as vezes também sejam os responsáveis por eventuais perdas de fluído.

Em se tratando das mangueiras existem 5 pontos mais propensos a apresentar vazamentos em função de atrito/desgaste, indicados na imagem abaixo:

Pontos mais propensos a vazamentos por atrito/desgaste

Todos os pontos acima tem em comum a possibilidade de as mangueiras encostarem em algo que possa desgastá-las, ocasionando um pequeno furo por onde o fluido vaza. Mesmo um pequeno vazamento, caso não exista um sensor de nível instalado, irá fazer o fluido baixar o suficiente para causar danos ao motor.

A solução é revisar toda extensão de cada uma das mangueiras buscando pontos de contato que possam causar desgaste, improvisando algum tipo de fixação e/ou proteção para resguardar esses pontos. Não custa lembrar que a relação de pontos sugerida na imagem acima não é exaustiva, ou seja, podem existir outros pontos no seu motor onde as mangueiras podem sofrer com desgaste.

1 – Mangueiras do ar quente sobre a mangueira da admissão de ar: nunca soube de ninguém com problemas nesse ponto, mas no meu motor me chamou a atenção o desgaste que a mangueira da admissão de ar apresenta em um de seus reforços corrugados, exatamente no ponto sob a mangueira do ar quente. De qualquer forma é um ponto onde eu improvisei uma proteção só por via das dúvidas.

Mangueira corrugada atrás do filtro de ar onde há contato com a mangueira do fluído de arrefecimento que vai até o radiador de ar da cabine.

2 – Mangueira do ar quente junto a borda da capa plástica do motor: na parte traseira do motor, onde estão as mangueiras de entrada e saída do fluído que vai até o radiador do ar quente, existe a chance de a capa plástica do motor encostar e desgastar as mangueiras. Aqui a solução pode ser tanto proteger a mangueira quanto desbastar a capa plástica com um estilete.

Mangueiras da parte traseira do motor muito próximas a borda da capa plástica

3 – Mangueira junto a borda da capa plástica do motor: na parte frontal do motor, junto a vareta de óleo, novamente a capa plástica do motor fica muito próxima a mangueira do sistema de arrefecimento, merecendo atenção para improvisar uma proteção e/ou fazer o desbaste da capa plástica.

Mangueira da parte frontal do motor, novamente muito próxima da capa plástica do motor.

4 – Mangueira sobre a polia da bomba d’água: 

Leia aqui!

5 – Mangueirinha entre Venturi e alojamento da válvula termostática: no alojamento da válvula termostática, onde existe o bujão do sistema de arrefecimento, existe uma pequena mangueira que serve para retornar eventual ar do sistema para o reservatório de expansão. Essa mangueira sai desse alojamento e passa por trás da correira do compressor do ar condicionado e de suas polias, a milímetros destas.

Nesse ponto alguns proprietários refazem o trajeto dessa mangueira passando esta por cima do compressor do ar condicionado. No entanto eu preferi improvisar uma proteção e reforçar a fixação desta mangueira, para garantir que ela nunca encoste na correia e/ou nas polias.

Protegendo e melhorando a fixação da mangueira junto ao compressor do ar condicionado.

2 respostas para “Cuidado com as mangueiras!”

    1. Olá, Gian!

      Ainda não temos nada publicado sobre a reforma das portas, mas pretendo fazer e registrar a manutenção preventiva das minhas portas ainda em 2019!

Os comentários estão desativados.